O que importa é ser feliz em 2017. Concorda?

 In Blog

Sabemos que é normal que todo começo de ano venha cheio de questionamentos, carregado de expectativas e novos planos. Então, o que você planeja para 2017? Acho que a pergunta não é nem esta, senão, como você colocará em prática os seus planos para 2017?

Sempre reforço a importância do passo número 1 da Steps to Fly que é a descoberta do seu objetivo principal (que está rodeado de muitos outros), aquele que irá lhe mover para frente e fazer acordar sorrindo todos os dias (leia mais sobre os 7 passos para voar da Steps to Fly). Eu mesma já desenhei o meu VISION BOARD de 2017, que para mim é uma das coisas que fazem os projetos do meu ano caminharem (se não souberem me perguntem, que ajudo). Não sei se você acredita, mas para mim sempre deu certo.

Este Vision Board nada mais é do que um papel ou quadro com imagens e/ou escritos do que você deseja atrair. Segundo a coach Elizabeth Rider, ”Visualization is one of the most powerful mind exercises you can do”. A proposta deste quadro é trazer tudo o que você deseja trazer para sua vida, ou melhor o que você irá sentir com tudo o que isto trará. E visualizando isto, dia a dia, sua mente reconhece seu desejo e a prática vem com ainda mais intensidade (pode ler o artigo todo aqui ).

Mas para além da descoberta do que você realmente deseja, é necessário agir e fazer as escolhas corretas para concretizar. E isto vem através de um planejamento (de pequenos passos possíveis de serem realizados).

Nestas primeiras semanas do ano li (e vivenciei) algumas situações interessantes que tenho o prazer de compartilhar. Uma delas é esse conceito antigo de sucesso que obriga algumas pessoas a estarem sentadas 10 horas por dia trabalhando no que não gostam, apenas para pagar as contas. Que se contrapõe a algumas das ultimas histórias que li (e ouvi) de pessoas que largaram tudo para provar algo novo, ainda que isto tenha lhe custado reduzir o seu padrão (casa, carro, trabalho seguro, e relacionamentos estáveis, diga-se de passagem).

Dá para ver nos amigos e pessoas ao nosso redor que o grande problema é a relação entre segurança financeira x tempo livre para se dedicar ao que se ama (seja um projeto, filhos, viagem…). Eu não sei se isto realmente existia na geração dos nossos pais, onde esta segurança e a estabilidade familiar eram as coisas mais importantes do mundo. Hoje em dia a coisa mudou muito. E que bom.

Li um texto compartilhado por uma amiga no facebook desta semana, de Ruth Manus, que questiona o modelo de sucesso da nossa geração. Um dos trechos dizia

“O cenário é mais ou menos esse: amigo formado em comércio exterior que resolveu largar tudo para trabalhar num hostel em Morro de São Paulo, amigo com cargo fantástico em empresa multinacional que resolveu pedir as contas porque descobriu que só quer fazer hamburger, amiga advogada que jogou escritório, carrão e namoro longo pro alto para voltar a ser estudante, solteira e andar de metrô fora do Brasil, amiga executiva de um grande grupo de empresas que ficou radiante por ser mandada embora dizendo “finalmente vou aprender a surfar”. O que importa é ser feliz”.

E quantas pessoas você conhece que estão neste questionamento ou dúvida? Quantas pessoas vocês conhecem que fizeram isto? Sim, hoje em dia tudo é permitido. O que falta? Um objetivo maior que tudo. E? Planejamento. E? Coragem.

Este meu texto não é para incentivar você a tomar atitudes radicais de largar tudo de uma hora para outra. Não é isto, por favor. Obviamente uma coisa é a ilusão e o sonho e outra é a necessidade e nossa realidade. Mas este texto é sim para incentivar você a pensar como são seus dias e como os deseja daqui para a frente. Eu garanto, com o passar do tempo, e pouco a pouco, você pode fazer o que ama sim e ser mais feliz.

E talvez, pensando, você se dê conta de que a melhor atitude não é mudar radicalmente. Talvez seja reconhecer que, de certo modo, você está evoluindo. Semana passada vi também um video de um palestrante motivacional chamado Tony Robbins que eu gosto muito e ele falava da importância de deixar de focar na MUDANÇA para reconhecer e identificar o PROGRESSO, que é o que a maioria da gente sabe, mas não reconhece. Aqui está o video completo.

Estamos em 2017. Pare. Pense. Descubra. Planeje. Aja. Porque o que não pode faltar no dia a dia é tempo para ser feliz.

Roberta Calabro, 17/01/2017.

Roberta Calabró
Co-fundadora Steps to Fly
Recommended Posts

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

0

Start typing and press Enter to search